Bate-bola com o CSA – Viviane Flores

Bate-bola com o CSA – Viviane Flores

Com extensa carreira na área da Educação, Viviane Flores assume o cargo de Diretora Geral do Colégio Santo Américo. Formada em Pedagogia, Psicopedagogia, Gestão de Liderança e Negócios, nos últimos anos Viviane atuou como Diretora Educacional de uma renomada rede escolar na implementação de projetos estratégicos do GM, gestão de produtos, supervisão de qualidade e eficiência operacional.

Viviane Flores traz para o Colégio Santo Américo toda sua experiência em gestão de negócios, somando seu amplo conhecimento na área de ensino aos pilares de formação humana que fazem do Colégio Santo Américo uma referência em educação e valores para a vida.

Para saber mais sobre projetos, estratégias e expectativas para o Colégio Santo Américo, nosso Bate-Bola do mês é com a Diretora-Geral, Viviane Flores.

 

O que te motivou a assumir a Direção Geral do Santo Américo, interrompendo a carreira de 12 anos na rede de escolas em que era Diretora Educacional?

Em minha jornada na educação básica sempre fiz questão de manter minha visão de educadora, com desejo de aprender, e isso me trouxe a posições bastante estratégicas em que tive oportunidade de perceber os desafios dos colégios em várias dimensões. O olhar de uma rede exige conhecer aspectos não só pedagógicos, mas de tudo o que permite às escolas cumprirem seu papel como gestão financeira, relacionamento, pastoral, entre outros.

Essa visão é sempre muito rica, mas fica o desejo de implementar esse aprendizado em um colégio e ver o dia a dia dessas práticas evoluindo com a comunidade. Tenho uma história em instituições católicas que teve início em um colégio beneditino (Colégio de São Bento), o que traz uma motivação especial de estar “de volta”.

 

Por falar em Direção Geral, esse é um cargo que volta a existir no Santo Américo após alguns anos. Qual é o papel de um Diretor Geral e quais serão seus principais desafios na função?

Falamos de uma posição que tem por caraterística um olhar mais sistêmico para todos os setores do colégio. A direção geral representa o alinhamento da caminhada para um objetivo em comum que ocorre em grandes organizações, ou seja, a especificidade de cada área deve ter clareza do que pretendemos juntos.

Iniciamos com um processo de gestão dos setores administrativo e pedagógico de forma mais integrada e consideramos que essa gestão deve dialogar com representações importantes como APM, associações de ex-alunos, parceiros. Todos têm muito a contribuir na construção da história do colégio, especialmente de futuro.

 

Estrategicamente falando, o que você espera alcançar a médio e longo prazo?

Existe um resgate importante para toda comunidade CSA de uma comunicação para a sociedade do que representa o colégio em termos de qualidade, propósito e contribuições para a educação do país. Como prioridade temos que traduzir o que as famílias e toda comunidade reconhece e valoriza para os que ainda não tiveram essa oportunidade.

Outra ação a médio prazo é o avanço de projetos de eficiência, tornando a organização cada vez mais sustentável e capaz de atender a crianças e jovens, seja no colégio seja nas obras sociais, naquilo que é mais valioso: seu projeto de vida. Há sempre a necessidade de encontrar o equilíbrio na administração de um colégio em sua capacidade e oferta de novas soluções.

A perenidade da missão educativa depende da continuidade de investimento em qualidade, inovação e, principalmente, na preservação da identidade do Colégio Santo Américo.

 

Você vem de uma grande rede de escolas particulares e possui uma visão muita ampla do setor no país. Olhando para esse panorama, como você enxerga o Santo Américo? O que ele representa no segmento e de que maneira pretende avançar com inovação e entregas?

Minha vivência me ensinou que não é mais possível ter um olhar despreocupado com o futuro e focar apenas no dia a dia escolar que, sem dúvida, é apaixonante. Todas as escolas têm um desafio importante muito agravado pelo cenário da pandemia que é de uma entrega de educação de qualidade para além do que fomos formados. Isso é uma oportunidade para entender como educar aproveitando as inovações do setor, preparando as equipes para um trabalho focado no estudante e se preocupando com a escuta ativa da comunidade.

Nesse sentido, o Santo Américo se destaca pela tradição em acolher e dialogar com as famílias, além de uma proposta em tempo integral de um currículo integrado tão desejado, mas pouco ofertado por outras instituições. Isso revela crença legítima no desenvolvimento humano.

Sem dúvida, permanece a atenção em qualificar as entregas educacionais a partir de evidências e não seguindo novidades sem fundamento para a base curricular do nosso país. Um exemplo dessa preocupação é a valorização da internacionalização no colégio fortalecendo a comunicação dos estudantes e uma visão de cultura global amplamente certificada por sua excelência.  A confiança de que numa jornada conosco os estudantes terão acesso aos melhores recursos metodológicos permeados dos nossos valores é o que temos de melhor e as inovações devem aderir a esse princípio.

 

Que papel a comunidade escolar terá em sua gestão e qual a importância dela na rotina do colégio?

Estamos nos acostumando, em educação, com o valor da experiência como forma de engajamento em tudo o que ofertamos. Cada vez mais é fundamental entender como está sendo essa experiência na relação com a escola para que possamos continuar atendendo com assertividade.

Qualquer novo projeto, gestão ou processo deve ser acompanhado dessa escuta em que avaliamos os passos dados e ajustamos no que for preciso. Essa concepção mais ágil sempre é impactada pelo tamanho do colégio, claro que há o desafio de fazer melhorias perceptíveis nessa dimensão, mas se procurarmos o diálogo e a comunicação constantes será mais fácil acertar.

 

Que mensagem você gostaria de passar aos pais de nossos alunos?

A primeira coisa a dizer é que me sinto acolhida por todos os que tive oportunidade de encontrar nesses primeiros tempos e isso é muito bom, sou grata por isso. São 70 anos de uma linda história da qual me orgulho de agora fazer parte sabendo que posso contar com as bençãos de São Bento e a colaboração amorosa de todos para fazer o Santo Américo grande como sempre. De verdade, tenho orgulho de pertencer.